WEB RADIO RGA missoes brasil: Família de jovem decapitado pelo EI pede orações pela Síria

uol

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Família de jovem decapitado pelo EI pede orações pela Síria

O americano foi o quinto estrangeiro a ser morto pelo grupo terrorista


A família do assistente humanitário americano que foi morto na SEMANA passada por militantes do Estado Islâmico está pedindo oração pela situação da Síria. O pedido da família foi feito na Igreja Metodista Epworth United, em Indianápolis.

A mãe do jovem, Paula Kassig, fez um breve comentário público na igreja lendo uma mensagem que um dos ex-professores de seu filho escreveu, dizendo que o jovem de 26 anos era tão realista quanto idealista.

PETER ganhou o direito de ser as duas coisas… a VIDA de Peter é a prova de que ele esteve certo o tempo todo; uma pessoa pode fazer a diferença.”

Antes de ser sequestrado e forçado a se converter ao islamismo Abdul-Rahman Kassig se chamava Peter Kassig, de 26 anos que fundou uma organização humanitária para ajudar os refugiados que fugiram da Síria.

O pai de Peter, Ed Kassig, também fez um comentário público, pedindo oração. “Por favor, orem por Abdul-Rahman, ou Pete, se é assim que você o conhece, ao pôr do sol nesta noite. Orem também para todas as pessoas na Síria e no Iraque ao redor do mundo que estão sendo mantidas CONTRA a sua vontade.”

Formado em medicina, PETER serviu ao Exército dos ESTADOS UNIDOS em 2007 combatendo no Iraque, em 2012 ele voltou ao Oriente Médio para uma viagem de férias e depois foi até o Líbano para atuar COMO técnico de emergência médica como voluntário para ajudar os refugiados sírios.

A família do jovem diz que ele se converteu ao Islã antes de ser capturado, isso em outubro de 2013, e por conta disso eles tentaram de muitas maneiras impedir que ele fosse decapitado como o EI começou a ameaçar.

Com a morte de Peter Kissig, já se contam cinco americanos e europeus assassinados pelo Estado Islâmico, grupo terrorista que tem atacado o Iraque e a Síria matando centenas de milhares de pessoas e forçando milhões de sírios e iraquianos a deixarem seus países. Com informações Extra

Nenhum comentário:

Postar um comentário